Bolsonaro: “Não compramos a vacina da China”

Através de sua página no Facebook, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quarta-feira (21), que o Brasil não irá comprar “a vacina da China”. 

A declaração foi dada em resposta a uma seguidora, na rede social, que pedia a exoneração do atual ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. “Bom dia presidente. Exonera Pazuelo urgente, ele está sendo cabo eleitoral do Doria. Ministro traíra”, escreveu a mulher. “Tudo será esclarecido ainda hoje. Não compraremos a vacina da China”, respondeu o presidente. 

Horas após a primeira afirmação, e utilizando a mesma rede social, o chefe do Executivo afirmou que “minha decisão é a de não adquirir a referida vacina”, e que antes de ser disponibilizada à população, a vacina deve ser “comprovada cientificamente pelo Ministério da Saúde e certificada pela Anvisa”.

De acordo com auxiliares do presidente, Bolsonaro desautorizou Pazuello. Fontes do Planalto afirmaram ao blog da Andréia Sadi que o governo não deverá recuar da compra desde que duas condições sejam atendidas: 

  • que a vacina seja aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa);
  • e que a vacinação não seja obrigatória.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *