Pesquisa aponta melhora no consumo de alimentos saudáveis

De acordo com as primeira análises do Estudo NutriNet Brasil, que envolveram a participação de 10 mil pessoas, a pandemia fez uma parte da população mudar os hábitos alimentares. Os resultados da pesquisa indicaram aumento generalizado na frequência de consumo de frutas, hortaliças e feijão (de 40,2% para 44,6%), durante a pandemia. 

Para o professor Carlos Monteiro, coordenador do NutriNet Brasil, a mudança positiva no comportamento alimentar, está associada a alguns fatores. “As novas configurações causadas pela pandemia na rotina das pessoas podem tê-las estimulado a cozinhar mais e a consumir mais refeições dentro de casa. Além disso, uma eventual preocupação em melhorar a alimentação e, consequentemente, as defesas imunológicas do organismo, podem ser consideradas”. O Estudo NutriNet é realizado através do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (Nupens/USP). 

O estudo também identificou um aumento no consumo de alimentos ultraprocessados nas regiões Norte e Nordeste, e entre as pessoas de baixa escolaridade. Vale ressaltar que alimentos in natura ou minimamente processados fortalecem os mecanismos de defesa do organismo e que a ingestão de comidas ultra processadas favorece o aparecimento de doenças crônicas, que aumentam o grau de letalidade da Covid-19.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *