Bolsonaro afirma que jornalistas têm menos chances de sobreviverem à Covid

Durante o discurso que fez esta segunda-feira (24), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que se um “bundão” da imprensa contrair o novo coronavírus tem poucas chances de sobreviver. O chefe do Executivo, que recentemente foi acometido pelo vírus, fez sua declaração no evento chamado “Brasil vencendo a Covid-19”.

Bolsonaro fez a referência aos jornalistas no momento em que relatou ter salvo um colega no Exército, na década de 1970. No trecho, ele fez menção a prática de atletismo no período em que este nas Forças Armadas e uma referência ao seu pronunciamento em 24 de março, quando afirmou que devido ao seu “histórico de atleta”, não precisaria se preocupar caso contraísse Covid-19.

“Era um jovem aspirante do Exército Brasileiro [em 1978 quando salvou um colega], tinha 23 anos, sempre fui atleta das Forças Armadas. Aquela história de atleta, né, que o pessoal da imprensa vai para o deboche, mas quando pega [covid-19] num bundão de vocês, a chance de sobreviver é bem menor. Só sabe fazer maldade, usar a caneta com maldade, em grande parte. Tem exceções, né, como aqui o Alexandre Garcia [jornalista]. A chance de sobreviver é bem menor do que a minha”, afirmou o chefe do Executivo. 

O discurso de Jair Bolsonaro aconteceu um dia após, o mesmo afirmar a um jornalista que estava com vontade de “encher” a boca dele “na porrada”. A frase foi uma reação do presidente a um repórter do jornal O Globo, sobre os cheques de Fabrício Queiroz à Michelle Bolsonaro, primeira-dama.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *