Brasil pode receber injeção de recursos

Durante sua participação em um evento desta quarta-feira (19), o ministro da Economia Paulo Guedes demonstrou otimismo para a possibilidade da economia brasileira receber uma “injeção” de recursos para aliviar os estragos financeiros gerados pela economia durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo o ministro, isso será possível devido aos programas lançados pelo governo federal para enfrentar a crise sanitária e ao desempenho de alguns setores produtivos, como a construção civil. 

“Com a construção civil expandindo e gerando empregos de um lado, com as exportações firmes do outro lado e com os programas de crédito que fomos aperfeiçoando, o Brasil está voltando em V. Todos os indicadores mostram que a queda foi súbita, mas o Brasil está voltando em V. Um V da Nike, um V que a volta é mais lenta do que a queda, mas que é segura”, declarou Guedes. O ministro ainda acrescentou, “O dinheiro está, finalmente, chegando à ponta. Distribuímos recursos para estados e municípios. Para a saúde, direto na veia. O auxílio emergencial para 64 milhões de brasileiros. Então, vamos ter um fim de ano onde estarão entrando, também, recursos do FGTS. São mais de R$ 30 bilhões. Também vem aí entre R$ 200 bilhões e R$ 300 bilhões de créditos alavancados nesses próximos três, quatro meses até o fim do ano.”

Paulo Guedes ainda afirmou que o Brasil é o país emergente que mais expandiu créditos, da mesma forma que auxiliou desassistidos e protegeu os vulneráveis. “Gastamos 10% do PIB para proteger vulneráveis. Expandimos o potencial de crédito em R$ 1 trilhão, e tudo isso está empurrando a economia nesse final de ano. Nós esperamos, então, ir aprofundando as reformas, de forma que o Brasil, já olhando para o ano seguinte, já esteja de volta ao trilho do crescimento sustentável que é onde nós estávamos antes.”

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *