Bolsonaro elogia Pazuello e afirma que Mandetta foi uma “desgraça”

Sem falar diretamente o nome, o presidente Jair Bolsonaro declarou durante sua live semanal, que o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, teria sido uma “desgraça” durante o período  que liderou o Ministério da Saúde. 

“Discutem: ‘Ah, o general Pazuello está indo bem ou não na Saúde, tem de ser substituído por um médico’. Pô, nós tivemos um médico, o primeiro médico lá [Mandetta], e olha a desgraça que foi. O segundo [Nelson Teich] foi muito rápido, o garoto lá, o segundo ministro. Por questões de foro íntimo decidiu sair, não tenho nada a falar sobre ele, só agradecer a ele pela colaboração que nos deu por um pequeno período de tempo”.

Bolsonaro aproveitou o momento para negar uma possível “militarização” da Saúde, e fez elogios ao ministro interino da pasta, Eduardo Pazuello. “O Pazuello é um gestor, ele esteve gerindo a Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro. Foi um trabalho excepcional. Se não fosse ele lá com sua equipe, não ia sair aquele negócio. Ele está fazendo agora um excepcional trabalho. Na semana passada, eu vi na mídia que, das 27 unidades da Federação, 17 deram sinal verde e positivo, gostaram do trabalho do Pazuello. Qualquer solicitação, de imediato ele atende. E ele tem atendido quase tudo. Não só recurso, com meios. Então está funcionando. São mais de 5 mil funcionários do Ministério do Saúde aqui em Brasília. Ele levou 15 militares para lá! A equipe dele, por coincidência, era formada por militares. É igual eu: quando escolhi o vice, escolhi o general. O pessoal tem que ver se o ministério está dando errado, não interessa se o cara é militar. Ou o cara bota a casa em ordem, ou dá lugar para outro”.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *