Sem auxílio, famílias voltam ao estado de extrema pobreza

De acordo com os dados apresentados pelo pesquisador Daniel Duque, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV), o auxílio emergencial apresentou um resultado imediato para a redução da miséria no país. Segundo o estudo, entre maio e junho de 2020, a população em situação de extrema pobreza caiu de 4,2% para 3,3%. São consideradas pessoas em extrema pobreza, aquelas que vivem com renda inferior a US$ 1,90 ao dia, o que corresponde a R$ 154 ao mês. O estudo também destacou que o percentual de brasileiros em situação de pobreza, que possuem renda de até R$ 446 mensais também reduziu de 23,8% para 21,7%. 

Segundo Duque, a pesquisa apresenta um reconhecimento e mostra a importância do auxílio emergencial, durante o estado de calamidade pública, em decorrência da pandemia do novo coronavírus. “O auxílio mostrou que as políticas sociais no Brasil são mal desenhadas. A retirada desses R$ 600 mensais tende a levar a extrema pobreza aos níveis de 2007”, destacou Daniel Duque. 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *