Bolsonaro devolve comando da Funarte à desafeto de Duarte

Foi publicada na edição desta terça-feira (05), do Diário Oficial da União, a nomeação do maestro Dante Henrique Mantovani  para o cargo de presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte). Ele havia sido exonerado da função no mesmo dia em que Regina Duarte foi nomeada para o comando da Secretaria de Cultura. A atriz havia sinalizado que o queria fora da sua equipe antes mesmo de assumir a pasta. 

Com a nomeação de Mantovani tem início um novo capítulo no processo de desgaste de Duarte com o governo. De acordo com a Folha de S. Paulo, o presidente deu aval para que aliados começassem um processo de desgaste da imagem da atriz, com a intenção de fazer com que a mesma acabe pedindo demissão do cargo de secretária especial da Cultura. 

O chefe do Executivo, que teria usado a imagem de Duarte como cartaz para seu governo, vem criticando o distanciamento de Regina, que está trabalhando em casa, em São Paulo. Bolsonaro chegou a afirmar que a secretária teria dificuldade na condução da pasta. 

No fim do mês passado, o chefe do Executivo declarou: “Infelizmente a Regina está trabalhando pela internet ali e eu quero que ela esteja mais próxima. Uma excelente pessoa, um bom quadro, é também uma secretária que era ministério, muita gente de esquerda, pregando ideologia de gênero, essas coisas todas que a sociedade, a massa da população não admite e ela tem dificuldade nesse sentido.”

Além disso, Regina Duarte vem sendo vítima de fogo amigo por parte dos membros da secretaria que exercem suas funções  desde a gestão anterior. O presidente Bolsonaro já deixou claro para aliados que espera que a própria atriz tenha a iniciativa de deixar o governo. Ele também teria dado carta branca para que seus apoiadores façam críticas à secretária. 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *