Bolsonaro chama decisão do Supremo de “política”

Nesta quinta-feira (3), o presidente Jair Bolsonaro declarou que a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, que suspendeu a nomeação do Delegado Alexandre Ramagem como diretor-geral da Polícia Federal, foi política e “quase” provocou uma crise institucional  entre os poderes. 

Tirar numa canetada, desautorizar o presidente da República dizendo em impessoalidade. Ontem quase tivemos uma crise institucional, quase, faltou pouco. Eu apelo a todos que respeitem a Constituição. Eu não engoli ainda essa decisão do senhor Alexandre de Moraes, não engoli. Não é essa forma de tratar o chefe do Executivo”, afirmou o presidente ao deixar o Palácio da Alvorada. 

De acordo com o chefe do Executivo, sua assessoria deverá entrar em contato com a equipe de gabinete do ministro. Com isso, ele espera que Moraes se pronuncie sobre a permanência de Ramagem como diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), cargo que ocupa desde o início do governo Bolsonaro. 

“O senhor vai retirar o Ramagem da Abin, que é tão importante quanto o diretor-geral da PF? Se não pode ter a confiança para trabalhar na PF também não pode trabalhar na Abin. É questão de coerência. Queremos o respeito de dupla mão entre os poderes. Então o senhor Alexandre de Moraes tem que decidir imediatamente se o senhor Ramagem pode ou não continuar à frente da Abin.”, declarou o presidente. 

 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *