Bolsonaro faz críticas ao diretor-presidente da OMS

Durante a live semanal, realizada em sua conta oficial do Facebook, nesta quinta-feira (23), o presidente Jair Bolsonaro fez críticas ao diretor-presidente da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus. A declaração feita pelo presidente era uma justificativa sobre a cobrança que tem recebido para seguir as recomendações da instituição. 

“Eu acho uma coisa: eu não tenho números, mas entre o Brasil por exemplo que tem renda per capita e um país pobre de um outro continente, africano por exemplo. A expectativa de vida é maior aqui ou maior em Zimbabue? é maior aqui. Por que tem a renda maior. Então, se a nossa renda vai cair a morte chega mais cedo. É isso que eu sempre busquei levar ao conhecimento público. Não podia fugir da verdade. Estou respondendo processo dentro e fora do Brasil e estou sendo acusado de genocídio por ter defendido uma tese diferente da OMS. O pessoal fala tanto da OMS, o diretor-presidente da OMS é médico? Não é médico, sabia disso?”

O chefe do Executivo ainda alfinetou: “Mesma coisa do que falar aqui no Brasil que o presidente da Caixa não fosse alguém da Economia. Não tem cabimento. E eu fosse o presidente da Caixa, com todo o respeito, eu não ia fazer nada lá. Se você Pedro (Pedro Guimarães – também estava presente na live) viesse para o Exército, você não ia fazer nada lá. Então o presidente da OMS não é médico. E o pessoal: tem que seguir a OMS, tem que seguir o Ministério da Justiça. Seguir determinações, orientações. Como por exemplo, a Anvisa. Também diz na lei última, na lei que trata desse assunto, desse ano, que para determinadas questões restritivas a Anvisa tem que ser consultada e não foi consultada.”

1 Comentários

  1. Hamilton Guizzo
    25 de abril de 2020 - 11:08 am

    Aviso para a organização política OMS: NO PLANETA MORREM 1 CRIANÇA A 4 MINUTOS DE FOME.

    Responder

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *