Bolsonaro muda o tom e não faz críticas ao isolamento social

Nesta terça-feira (31), o presidente Jair Bolsonaro fez em rede nacional seu quarto pronunciamento sobre a crise do coronavírus. Diferente dos pronunciamentos anteriores, desta vez ele não fez críticas ao isolamento social, uma das principais estratégias de contenção da pandemia. O método é defendido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde. 

Durante seu pronunciamento o presidente fez referência a falas do diretor -geral da OMS, Tedros Adhanom, porém sem críticas ao sistema de isolamento. Bolsonaro afirmou está preocupado com a vida e principalmente com a manutenção dos empregos da população. “Minha preocupação sempre foi salvar vidas. Tanto as que perderemos pela pandemia como aquelas que serão atingidas pelo desemprego, violência e fome”, declarou. 

Em outro momento, Jair Bolsonaro afirmou que não pretende negligências a importância das medidas preventivas, porém ele ressaltou a necessidade de cuidar dos cidadãos “mais vulneráveis”. “Não me valho dessas palavras para negar a importância das medidas de prevenção e controle da pandemia, mas para mostrar que, da mesma forma, precisamos pensar nos mais vulneráveis. Essa tem sido a minha preocupação desde o princípio. O que será do camelô, do ambulante, do vendedor de churrasquinho, da diarista, do ajudante de pedreiro, do caminhoneiro e dos outros autônomos, com quem venho mantendo contato durante toda minha vida pública?”

Outro ponto importante do pronunciamento, foi o destaque as medidas já adotadas pelo governo para o combate ao coronavírus. Bolsonaro ainda declarou que os preços dos remédios estão congelados pelos próximos 60 dias. O presidente ainda ressaltou que sua missão é “salvar vidas, sem deixar para trás os empregos”. “Por um lado, temos que ter cautela e precaução com todos, principalmente junto aos mais idosos e portadores de doenças pré-existentes. Por outro, temos que combater o desemprego que cresce rapidamente, em especial entre os mais pobres”, afirmou.

 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *