Entenda como acontecem as eleições presidenciais nos EUA

Assim como o processo eleitoral brasileiro a cada 4 anos, os cidadãos norte-americanos realizam um pleito eleitoral para presidência do país. No dia marcado, os eleitores vão às urnas para votar no candidato da sua preferência. Porém, diferente da disputa brasileira, nos Estados Unidos o voto acontece de maneira facultativa. Assim, o cidadão não é obrigado a ir às urnas, e não sofre qualquer prejuízo ou precisa justificar o voto. Dessa forma, os candidatos devem se esforçar para convencer os eleitores mais desmotivados a participar das eleições. 

Outra grande diferença das eleições norte-americanas é o caráter indireto. Aqui no Brasil, a totalidade dos votos dos cidadãos é somada, concluindo assim o pleito. Já no processo eleitoral dos Estados Unidos, os votos são utilizados para eleger possíveis delegados no colégio eleitoral, mesmo que sejam dados para candidatos específicos. A partir disso, é que os representantes irão se posicionar em favor dos eleitores de sua unidade federativa, para a escolha final do futuro presidente. 

O Colégio Eleitoral dos EUA é composto por 538 assentos, desde 1954. Destes, ao menos 270 votos são necessários para que um vencedor seja escolhido. Na maioria dos casos, a determinação final de cada Estado acontece de forma absoluta, e não de maneira proporcional. Esse sistema de votação é chamado de “O Vencedor Leva Tudo”, e não permite que os votos sejam disseminados entre os candidatos. Outro detalhe importante. é que cada Estado tem uma quantidade específica de representantes, o que estabelece a proporcionalidade de acordo com a população. 

Aliadas a essas características, é preciso compreender que o alto grau de autonomia das leis eleitorais de cada Estado, interferem no tempo em que o resultado das eleições seja anunciado, variando assim a cada ano. Entender o processo eleitoral dos Estados Unidos é perceber que além dos tamanhos e peso eleitoral de cada Estado, os perfis individuais de cada unidade apresenta características bem distintas. O que interfere nas funções específicas de cada eleição e deixam bem claras as identidades políticas bem definidas de cada localidade. 

Ainda é importante ressaltar que vários nomes disputam as eleições de maneira independente, assim, o pleito apresenta uma disputa dora do sistema binário dos partidos Republicano e Democrata. Candidatos independentes não apresentam chances reais de eleição, e por isso muitas vezes nem estão como opções a serem votadas nas cédulas eleitorais dos estados. 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *