História política do Brasil: Milagre econômico ao Plano Real

O Brasil viveu um período conhecido como “milagre econômico” (1967-1974), que ficou conhecido pela aceleração do crescimento do PIB, industrialização e baixa inflação. Porém, como nem tudo são flores, por trás de toda prosperidade, também ocorreu uma forte concentração de renda, aumento da corrupção e exploração da mão de obra. 

Com o fim desse período, o país passou a enfrentar uma fase onde a estagnação e a inflação ocorriam ao mesmo tempo e somadas à liberdade política.  Foi durante essa época que grandes mudanças ocorreram na sociedade. O país tornou-se 70% urbano, a economia passou a ser basicamente industrializada e os bens manufaturados passaram a ser mais exportados do que  os bens primários. Além disso, mais da metade da população passou a está apta para votar e escolher seus representantes. Apenas na metade da década de 1980, foi que ocorreu a transição do governo militar para o governo civil. 

Durante 12 anos, entre 1985- 1997, o Brasil passou por quatro modelos políticos diferentes. O primeiro ocorreu sob o comando de José Sarney (1985-90) e foi marcado pela barganha política, clientelismo e o nacionalismo econômico. Após essa época, foi a vez de Fernando Collor de Mello (1990-92), com o liberalismo neo-social e a modernização econômica que mexeram profundamente com as estruturas da sociedade brasileira. Porém, em 1992 sob acusações de corrupção, Collor foi destituído do poder após um processo de impeachment. 

Com a saída de Collor, assume o poder Itamar Franco (1992-94), com o nacionalismo social. Após o processo eleitoral, chega à presidência em 1995, Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), que enquanto ainda exercia o  cargo de ministro de Itamar Franco, criou o Plano Real, medida que tinha como principal objetivo fortalecer e dá estabilidade econômica ao país, através da criação de uma nova moeda. A corrida presidencial em 1994 foi bastante acirrada, já que enquanto o PSDB e FHC defendiam uma sociedade que seguia o modelo social-democrata de modernização para o país, seu principal oponente o candidato de esquerda Luiz Inácio Lula da Silva (PT), defendeu um modelo retrabalhado de socialismo corporativo ou sindicalista. Foi o Plano Real e o controle da inflação que levaram a maior parte da população á eleger FHC como presidente do país.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *