Bolsonaro deixa governadores de fora do Conselho da Amazônia

Nesta quinta-feira (13), o presidente Jair Bolsonaro declarou que incluir governadores no Conselho Nacional da Amazônia “não resolveria nada”. Porém, ele ressaltou que nenhuma decisão será tomada sem que eles sejam consultados. 

Com a assinatura do decreto que transferiu o colegiado do Ministério do Meio Ambiente para a Vice-presidência, Bolsonaro deixou de fora os governadores da Amazônia Legal. Estipulada através de um decreto de 1995, a composição anterior do conselho incluía os governadores. A Amazônia Legal é composta pelos seguintes estados: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Mato Grosso e Maranhão.

O presidente Bolsonaro declarou em sua entrevista na saída do Palácio da Alvorada que governadores e secretários municipais tornariam o grupo muito grande. Com isso, os custos seriam elevados e a eficiência dos trabalhos poderia ser prejudicada. 

“Se você quiser que eu bote, está aqui o Atila Lins [deputado federal PP-AM] para responder. Se você quiser que eu bote governadores, secretários de grandes cidades, vai ter 200 caras. Sabe o que vai resolver? Nada. Nada. Tem bastantes ministros. Nós não vamos tomar decisões sobre estados da Amazônia sem conversar com governador, com a bancada do estado. Se botar muita gente ,é passagem aérea, hospedagem, uma despesa enorme, não resolve nada”, afirmou o presidente. Bolsonaro concluiu dizendo que Mourão conhece a região por trabalhado na Amazônia durante a carreira militar. 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *