Bolsonaro afirma que não viu erro em Chefe da Secom

Nesta terça-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro declarou não ter visto “até agora” nada de errado na postura do secretário de Comunicação Social da Presidência, Fabio Wajngarten. O secretário está sendo investigado por suspeitas de práticas de corrupção passiva, peculato e advocacia administrativa. 

O crime de peculato é caracterizado pelo desvio de recursos públicos feito por funcionário público, para proveito de pessoal e alheio. Já advocacia administrativa é o patrocínio de interesses privados na administração pública, valendo-se da condição de servidor. 

“Olha, vai ser dado o devido despacho por parte do MP. Desde que tenha um indicativo para investigar vai ser investigado. Até o momento não vi nada de errado por parte do Fabio”, afirmou Bolsonaro ao sair do Ministério da Defesa, onde almoçou com o vice-presidente Hamilton Mourão e o titular da pasta, Fernando Azevedo. 

O Ministério Público Federal em Brasília solicitou à Polícia Federal a abertura de um inquérito criminal, para investigar suspeitas envolvendo Wajngarten. As penas para os crimes de corrupção passiva e peculato variam de 2 a 12 anos de pr, além de multa. No caso do crime de advocacia administrativa a pena aplicada é a detenção de um mês a um ano.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *