Detentos com doença misteriosa em estado grave

Até agora não se sabe nenhuma informação concreta, porém o fato é que uma bactéria misteriosa está desfigurando o corpo de detentos em Roraima. Até o momento 24 presos, todos da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (PAMC) foram internados com os mesmo sintomas. Em alguns casos, a doença misteriosa causou paralisia nas pernas e pele em decomposição nos doentes. 

De acordo com informações, os detentos ficaram doentes após consumirem a água do presídio no início de janeiro. O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil em Roraima (OAB-RR), Hélio Abozaglo afirmou que o problema é grave e precisa de ações urgentes. Alguns não conseguem andar, outros estão com bactérias nos pés que estão corroendo a pele. Apesar de estarem medicados, notamos que o caso é muito sério”, afirmou.

Os detentos contaminados estão em isolamento e um protocolo para atender o caso foi aberto junto a secretaria de Saúde do estado.  O caso denunciado nesta segunda-feira (20), ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Ministério Público Federal (MPF) e à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH). Além da doença provocada pela bactéria, alguns presos estão com tuberculose.

Segundo o presidente da OAB seccional Roraima, Ednaldo Vidal, há grandes chances da doença contaminar outros presos, agentes e funcionários do presídio. “O presídio não é muito diferente de um campo de concentração, é um local com zero higiene. Por isso vamos pedir a interdição imediata. A situação é de descontrole total, um caldeirão de desumanidade”, declarou. O PAMC tem capacidade para 500 detentos e atualmente está superlotado com quase 1.300. A cadeira foi palco do massacre de cerca de 30 pessoas em janeiro de 2017.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *