Lei que proíbe carros a combustão em Noronha é sancionada

Na última terça-feira (07), foi sancionada pelo governo de Pernambuco, Paulo Câmara, a lei que proíbe a entrada e a circulação de carros à combustão em Fernando de Noronha. Conhecida como Noronha Carbono Zero, a norma determina que a partir de 2022, nenhum carro emissor de dióxido de carbono entre na ilha. Em 2030, qualquer veículo que emita gasolina, álcool ou óleo diesel está proibido de circular no arquipélago.

Assim, daqui a dez anos, o objetivo é que apenas carros elétricos estejam em circulação no local. Com a nova lei, Fernando de Noronha passa a ser o primeiro lugar no Brasil a banir os carros à combustão. O governador Paulo Câmara declarou que  “estamos garantindo uma política que será importante para a preservação do meio ambiente e para a conscientização do papel do cidadão nessa tarefa. Já havíamos adotado o Plástico Zero em Fernando de Noronha e, agora, avançamos para, de forma gradativa, assegurar a circulação de veículos não poluentes no arquipélago. Seguiremos buscando sempre alternativas para garantir um futuro mais sustentável” Porém, a lei não estendida a embarcações, aeronaves, tratores ou ainda, outros veículos automotores.

Carros elétricos 

Guilherme Rocha, administrador de Fernando de Noronha, ressaltou a importância de livrar a ilha da poluição ambiental. Ele destacou a necessidade da preservação do meio ambiente desde já. “O nosso objetivo é zerar a emissão do carbono na ilha até 2030, conforme as premissas do Noronha + 20, que são regidas pela sustentabilidade em diversas áreas da gestão pública. Noronha Carbono Zero, através dos carros elétricos, é apenas o início de novas opções sustentáveis para a mobilidade e a matriz energética da ilha”, afirmou.Como reforço para preservação ambiental de Fernando de Noronha, o governador de Pernambuco, através da Administração da ilha, firmou parceira com a Renault Brasil. Assim, carros elétricos passaram a ser implantados na ilha. Atualmente, seis veículos de três modelos, já estão em funcionamento no distrito. 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *