Regras do abono salarial ficam mais frouxas

Estão mais uma vez em pauta no Congresso, as  mudanças que tornam as regras do abono salarial mais frouxas. Este benefício funciona como um 14º salário para trabalhadores de baixa renda e é pago pelo governo. Pelas atuais regras, quem trabalha de carteira assinada e recebe até dois salários mínimos (r$ 1,9 mil) por mês, tem direito a receber o abono. 

Porém, o relator da PEC Emergencial, senador Oriovisto Guimarães (Podemos -PR), propôs mudanças a essas normas, já que o documento determina medidas para o ajuste em contas públicas. Pelo novo texto, o valor do benefício poderá ser alterado de acordo com a renda do trabalhador, não havendo assim mais obrigação de salário mínimo. As novas faixas de valores terão como base o orçamento destinado para o pagamento do abono salarial. Oriovisto Guimarães faz parte da corrente da equipe econômica do governo que defende a redução de despesas como esse benefício. 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *