Novo orçamento do fundo eleitoral reduz orçamento de outras áreas do governo

Com a aprovação do novo orçamento para o fundo eleitoral em 2020, nesta quarta (04), no valor de R$ 3,8 milhões pela comissão do Congresso, será preciso realizar cortes nas áreas de saúde, educação e infraestrutura. 

O governo Jair Bolsonaro havia enviado o orçamento de R$ 2 bilhões para custear as candidaturas municipais, porém, líderes e presidentes partidários que compõem a maioria da bancada, articularam a elevação do valor em R$ 1,8 bilhão. De acordo com técnicos do Congresso e do governo, o novo valor do financiamento eleitoral só foi possível com a redução das despesas em diversos ministérios, o que influenciou diretamente nas áreas com impacto social. 

O principal alvo da mudança foi o Fundo Nacional de Saúde que deixará de receber ao menos R$ 70 milhões, para a Farmácia Popular. Além disso, mais de 15 ministérios perderam o orçamento de despesas discricionárias (não obrigatórias) para que o impacto fosse menor. A nova proposta de valor para o fundo eleitoral foi apresentada pelo deputado Domingos Neto (PSD-CE), relator do Orçamento de 2020. 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *