Excludente de ilicitude para militares valeria apenas para GLO, segundo Bolsonaro

Nesta sexta-feira (22), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o projeto que prevê excludente de ilicitude para os militares e agentes de segurança será exclusivo para os casos que ocorrerem em operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). Bolsonaro declarou que casos como o do policial militar acusado de ter disparado o tiro que vitimou a menina Ágatha Félix, 8 anos, possam ser enquadrados na nova lei. O presidente ainda garantiu que todos os casos serão avaliados. 

“Não é justo, por exemplo- vou citar o caso das Forças Armadas-, um garoto de 20 anos de idade, torce pro Flamengo, tem sua namorada, vai pra praia no fim de semana, e numa operação GLO acontece um imprevisto numa área urbana, você é submetido a uma auditoria militar e pega de 12 a 30 anos de cadeia. Isso não é justo”, afirmou o presidente.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *