Deputados afirmam ser perseguidos pelo PSL

O grupo de parlamentares do PSL, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro afirmam que estão sofrendo perseguição desde que o Conselho de Ética do partido foi instaurado contra o grupo. No momento em que a crise interna da sigla estava em seu ponto mais crítico, os parlamentares assinaram uma carta pedindo a abertura das contas do partido. Após isso, o grupo passou a ser acusado de ter atacado a própria sigla e receberam notificações internas. 

Os deputados haviam conseguido impedir a na Justiça o processo no Conselho de Ética, porém o PSL recorreu e ganhou a ação. Entre as punições estão desde uma simples advertência até a expulsão dos correligionários. De acordo com Vitor Hugo (PSL-GO), líder do governo na Câmara, “ousamos pedir transparência –  o que nos foi negado- e, a partir desse pleito justo, passamos a sofrer perseguições, constrangimentos, insultos e ameaças.”

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *