Dia da Consciência Negra sem cerimônia

O presidente Jair Bolsonaro preferiu não declarar nada sobre o caso da destruição do quadro por parte do deputado Coronel Tadeu (PSL-SP), em alusão à violência contra a população negra. 

Bolsonaro cumprimentou eleitores em sua saída do planalto, na manhã desta quarta-feira (20), Dia da Consciência Negra. Em sua declaração, o presidente afirmou que não cabia a ele comentar sobre o fato. Até o momento, Bolsonaro não se manifestou nas redes sociais sobre a data e o Palácio do Planalto não marcou nenhuma cerimônia para celebrar o Dia da Consciência Negra. 

Entenda o caso-

O deputado Coronel Tadeu quebrou uma placa que trazia a imagem de um policial indo embora após atirar em um jovem negro algemado. A charge fazia parte da exposição sobre o Dia da Consciência Negra celebrado hoje em todo país. Segundo o autor da ilustração, o cartaz tinha como objetivo denunciar o genocídio cometido contra a população negra no Brasil. 

Após o ocorrido, alguns parlamentares se reuniram e realizaram uma denúncia contra o deputado na Polícia Legislativa da Casa. As denunciantes prestaram um Boletim de Ocorrência  (B.O.) alegando que três crimes foram cometidos: quebra de decoro, racismo e destruição de patrimônio. O deputado Coronel Tadeu declarou que arrancou o capaz pois se tratava de uma ofensa contra os policiais, fazendo uma alusão ao fato de que os militares atiraram apenas para matar a população negra. 

 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *